Cadastre-se Grátis  |  Esqueci a senha
login:   senha:  


tompsonvieira

Nível 5

Será que Deus criou a Terra em apenas seis dias de 24 horas?

Deus criou o Universo, incluindo a Terra, no passado distante — “no princípio”, como diz Gênesis 1:1. A ciência moderna concorda que o Universo teve um começo.
Categoria: Bíblia  |  895 visualizações |  15 respostas  
Sexta, 25 de Outubro de 2013 17:13  | Compartilhe esse link:

15 respostas para este tópico




filiperibeiro

Nível 6
A referência de tempo pra Deus é diferente da nossa.

Salmos
90.4 Pois mil anos, aos teus olhos, são como o dia de ontem que se foi e como a vigília da noite.

Deus não está preso ao tempo como nós estamos.

Na física vemos q o tempo é a quarta dimensão q é uma dimensão temporal mas que está ligada as outras 3 q são altura, comprimento e largura, sendo estas 4 as que conseguimos ver e entender. Mas a própria física calcula q há mais dimenões além dessa. O problema é a gente entender o que não é palpável a nós. Como a singularidade onde o tempo é distorcido fisicamente falando.

O problema do nosso entendimento é que somos limitados. E assim entramos naquilo que fala em Eclesiastes:

Eclesiastes
3.11 Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo; também pôs a eternidade no coração do homem, sem que este possa descobrir as obras que Deus fez desde o princípio até ao fim.

Mas uma coisa interessante é que o feito do quarto dia faz referência ao feito do primeiro, o feito do quinto dia faz referência ao feito do segundo, e o feito do sexto dia ao feito do terceiro.

Graça e paz!
Sábado, 26 de Outubro de 2013 01:52 


evertonchemp

Nível 7
A Terra, Deus criou em 5 dias, o homem é que foi criado no sexto dia.
Agora, se cada dia foi constituído por um período exato de 24 horas ou não, isso pra mim pouco importa, eu não vejo a bíblia como um livro enigmático a ser decifrado, ou como um mistério que somente os teólogos conhecem.
Vejo a bíblia como um Livro Sagrado onde Deus se apresenta ao homem, onde o que realmente importa é o que Deus tem a nos dizer através desse livro; o que Eles quer nos ensinar...
Nesse texto da criação, vejo Deus se apresentando como Criador, mas não como um criador qualquer, mas um criador que tem prazer em criar, que se alegra ao ver as coisas sendo formadas, já que Ele podeira criar todas as coisas em um piscar de Olhos, mas preferiu fazer isso aos poucos, como que se ficasse observando a formação de tudo.
Vejo um Deus que ama tudo o que fez, plantas, animais, pedras e todo o resto...
Acredito que é assim que se estuda a bíblia, não procurando opiniões judaicas de tempos passados, ou a tradução literal de palavras de uma língua que não é mais a mesma desde o primeiro versículo foi escrito.
Mas se estuda a bíblia tentando conhecer a Deus através dela.
Sábado, 26 de Outubro de 2013 14:14 
tompsonvieira respondeu:

Terça, 29 de Outubro de 2013 11:44 
tompsonvieira respondeu:






Evertonchemp,




Olá amigo Everton, O Homem de fato foi criado no sexto dia.

Mas um estudo cuidadoso do texto bíblico revela que não há conflito com os fatos científicos comprovados.

O relato de Gênesis começa com esta simples e poderosa declaração: “No princípio Deus criou os céus e a terra.” (Gênesis 1:1)

Muitos eruditos bíblicos concordam que essa declaração se refere a uma ação à parte dos dias criativos, que são relatados a partir do versículo 3.

Em Gênesis 2:4, o inteiro período de seis dias, descrito no capítulo anterior, é mencionado como sendo apenas um dia.

Os geólogos estimam que a Terra já existe há 4 bilhões de anos, e os astrônomos calculam que o Universo pode ter até 15 bilhões de anos.

Será que esses cálculos — ou possíveis ajustes futuros a eles — contradizem Gênesis 1:1?

Não.

A Bíblia não especifica a idade exata ‘dos céus e da Terra’.

A ciência não contradiz o texto bíblico.

Qual foi a duração dos dias criativos?

A Bíblia não diz; no entanto, a fraseologia de Gênesis, capítulos 1 e 2, indica que estavam envolvidos longos períodos.

Um exame do relato de Gênesis revela que os eventos iniciados no decorrer de um “dia” continuaram no dia ou dias seguintes.

Por exemplo, antes de começar o primeiro “dia” criativo, a luz do já existente Sol estava, de alguma forma, impedida de alcançar a superfície da Terra, possivelmente por nuvens densas. (Jó 38:9)

Durante o primeiro “dia”, essa barreira começou a dissipar-se, permitindo que a luz difusa penetrasse na atmosfera.

Por exemplo, durante o sexto dia criativo, Deus decretou que os humanos ‘se tornassem muitos, e enchessem a Terra’. (Gênesis 1:28, 31)

No entanto, esse evento começou a ocorrer no “dia” seguinte. Gênesis 2:2.

No segundo “dia” pelo visto a atmosfera continuou a clarear, criando um espaço entre as nuvens espessas no céu e o oceano abaixo.

No quarto “dia”, a atmosfera já havia gradualmente clareado o suficiente para que o Sol e a Lua ficassem visíveis “na expansão dos céus”. (Gênesis 1:14-16)

Em outras palavras, do ponto de vista de uma pessoa na Terra, o Sol e a Lua começaram a ficar visíveis.

Esses eventos ocorreram de forma gradual.

O relato de Gênesis diz também que, ao passo que a atmosfera continuava a clarear, criaturas voadoras — incluindo insetos e criaturas com membranas alares — começaram a aparecer no quinto “dia”.

A narrativa da Bíblia deixa margem para a possibilidade de que alguns dos acontecimentos maiores durante cada dia, ou período criativo, ocorreram aos poucos, em vez de instantaneamente, e alguns deles podem ter se estendido até os dias criativos seguintes.

Por exemplo, durante o sexto dia criativo, Deus decretou que os humanos ‘se tornassem muitos, e enchessem a Terra’. (Gênesis 1:28, 31)

No entanto, esse evento começou a ocorrer no “dia” seguinte. Gênesis 2:2.

Acredito que alguns cientistas, falo alguns, pois nem todos acreditam na teoria da evolução.

Deus não usou a evolução para produzir a vasta diversidade de seres vivos.

O registro diz de maneira clara que Deus criou todas as “espécies” básicas da vida vegetal e animal. (Gênesis 1:11, 12, 20-25)

Será que essas “espécies” originais de plantas e animais foram programadas com a capacidade de se ajustar às mudanças ambientais?

O que define os limites da “espécie”?

A Bíblia não diz.

No entanto, ela diz que as criaturas viventes foram produzidas “em enxames segundo as suas espécies”. (Gênesis 1:21)

Essa declaração sugere que há um limite na variação que pode ocorrer dentro de uma “espécie”.

O registro fóssil e a pesquisa moderna apoiam a ideia de que as categorias fundamentais de plantas e animais mudaram pouco no decorrer de longos períodos.


Ao contrário do que afirmam alguns religiosos fundamentalistas, Gênesis não ensina que o Universo, incluindo a Terra e todos os seres que vivem nela, foi criado num curto período num passado relativamente recente.

Em vez disso, aspectos da descrição de Gênesis sobre a criação do Universo e do aparecimento da vida na Terra harmonizam-se com descobertas científicas recentes.

Por causa de suas crenças filosóficas, muitos cientistas rejeitam a declaração da Bíblia de que Deus criou todas as coisas.

É interessante, porém, que no antigo livro bíblico de Gênesis Moisés tenha escrito que o Universo teve um início e que a vida apareceu em estágios, progressivamente, ao longo de vários períodos.

Como Moisés podia, 3.500 anos atrás, ter acesso a essas informações científicas tão exatas?

Há uma explicação lógica.

Aquele que teve o poder e a sabedoria para criar os céus e a Terra podia com certeza dar a Moisés esse conhecimento tão avançado.

Isso dá peso à afirmação da Bíblia de que ela é “inspirada por Deus”. 2 Timóteo 3:16.

Por, exemplo.

Na descrição dos acontecimentos do primeiro “dia”, a palavra hebraica usada para luz é ‘ohr, luz no sentido geral; mas com respeito ao quarto “dia”, a palavra usada é ma·’óhr, que se refere à fonte de luz.



Terça, 29 de Outubro de 2013 12:00 
evertonchemp respondeu:

Ola Tompson!!

Como havia afirmado antes, eu não sei se os dias referentes a criação citados em gênesis são períodos completos de 24 horas ou não, na verdade eu até acredito na possibilidade de que cada um desses dias possa ser uma era como mencionado pelo irmão Adotados.
Eu vejo que Deus criou tudo aos poucos, pois se não fosse assim, Ele o faria num estalar de dedos.
O que eu não acredito é no big bang e na evolução, pelo simples fato de não haver prova alguma para essas teorias e também pelas várias perguntas que elas deixam no ar; como a formação das galáxias e o alinhamento dos planetas em torno dos sois por exemplo, isso seria impossível de ser causado por uma explosão de pedras. Ou a evolução que afirma que todas as espécies existentes são modificações de espécies extintas, mas nunca foram encontradas espécies intermediárias, como um ser meio dinossauro e meio mamífero por exemplo; até existem fósseis de seres meio macacos e meio humanos, mas descobertas mais recentes afirmam que uns eram apenas macacos comuns e outros humanos normais com problemas de saúde.
Enfim, a falta de provas e as muitas perguntas que essas teorias não respondem me impedem de acreditar nelas.
Sobre os fósseis e outros achados arqueológicos, há uma explicação para isso, que eu particularmente acredito.
O livro de gênesis na verdade fala da REcriação da Terra, que nesse momento estava sem forma e estava vazia.
O texto sugere que a Terra estava defeituosa, ou mergulhada no caos como muitos sugerem; e a menção do estado vazio, sugere que ela não era assim antes.
Mas como um Deus perfeito criaria algo defeituoso ou no estado do caos?
A resposta é: Não criaria!
Deus é perfeito, e tudo que Ele faz é com perfeição.
Há quem diga que Deus já havia criado todas as coisas, e que a Terra era perfeita e não era vazia, isto é, havia vida nela.
Existe uma teoria, que Deus havia criado céus espirituais com seres espirituais e um mundo material com seres materiais, mas diz a teoria que um dia, um querubim chamado lúcifer deixou a soberba entrar em seu coração e pensou que poderia se maior que seu Criador, acreditando firmemente nisso, corrompeu a terça parte dos anjos e tentou usurpar o trono de Deus.
Mas Deus não o permitiu e os expulsaram do céu.
Lúcifer (aquele que tem a luz) que agora passou a se chamar satanas (inimigo; opositor) ficou irado e tentou se vingar, mas como ele não pode fazer nada contra Deus e nem subir aos céus e ferir os anjos, ele foi contra a criação material de Deus, destruiu a Terra e a vida existente nela, assim como o restante do universo.
Deus então resolveu recriar tudo, e como Ele é Deus de coisas novas e não de coisas velhas, decidiu criar outras espécies de plantas e animais.
E os fósseis que hoje vemos, são esses seres que povoavam a Terra antes da queda de lucifer.
Bem, é apenas uma teoria que talvez você já tenha ouvido falar, mas sinceramente, eu acredito nela.
Não tenho nada contra a ciência, muito pelo contrário, gosto muito de filmes de ficção e fico fascinado com experimentos de química e física, mas não sou do tipo que aceita qualquer coisa só porque foi o doutro fulano quem disse.
O doutor fulano também erra, e quem me garante que ele não errou?
Mas como havia dito antes, esses detalhes são irrelevantes para mim, eu leio a bíblia para conhecer a Deus e a medida que Ele quiser me ensinar, estou disposto a aprender.
Terça, 29 de Outubro de 2013 16:17 


adotados

Nível 9
Creio que estes seis dias no tempo de Deus, foram seis eras no tempo da terra.
E tudo Deus criou com palavras, por exemplo: Haja luz, haja expansão, ...
Creio que a primeira palavra de ordem de Deus foi o que desencadeou o Big Bang.

No terceiro dia Deus disse: Haja luminares, ou seja estrelas.
Se tivesse sido realmente 6 dias de 24 horas, nós até hoje não estaríamos vendo a luz de quase nenhuma estrela do Céu, que se encontram a milhões e bilhões de anos Luz distante da terra. Hoje, a primeira luz delas ainda estaria a caminho, e não tinha ainda chegado hoje aqui na terra.
Segunda, 28 de Outubro de 2013 08:52 
evertonchemp respondeu:

Ola irmão Adotados.
Longe de mim interferir na sua resposta, mas vejo que o irmão está cometendo o mesmo erro que muitas pessoas cometem; está olhando apenas um lado da moeda.
É claro que a maioria dos cientistas acredita no big bang, mas maioria não quer dizer que são todos, existem aqueles que não acreditam nisso.
Para começar, todas as teorias só podem ser consideradas verdades cientificas se forem baseadas no experimento e/ou na observação, e como não havia ninguém lá para observar e também não se pode reproduzir o big bang em laboratório, então essa teoria não passa de uma simples hipótese que não pode ser provada, ou seja, não é uma verdade cientifica.
Essa teoria assim como a da evolução não responde todas as perguntas a cerda da origem de todas as coisas, pelo contrário, elas deixam lacunas, perguntas e evidências não provadas.
Por exemplo, é ilógico imaginar que o big bang, que não passa de uma explosão de pedras, dar origem aos sistemas solares com seus planetas em perfeito alinhamento e em órbita em torno de sois.
O big bang até pode explicar a origem dos meteoros que viajam constantemente pelo universo, mas não a origem do cosmos.
Não sei se você acredita na evolução, se tiver interessado, dê uma olhada nesses artigos, são meio resumidos, mas já da pra te despertar para o outro lado da moeda que eu te falei:
http://misteriosdomundo.com/cinco-maiores-erros-cientificos
http://verdade-eterna.blogspot.com.br/2007/10/fraudes-do-homem-macaco.html
Muitas pessoas não acreditam na bíblia (sei que esse não é o seu caso, estou apenas comentando) por afirmarem que há erros nela, mas na verdade na bíblia não há erros, há falta de detalhes.
A bíblia não foi escrita para ser um livro de histórias nem de explicações terrenas, mas sim de ensinamentos, através da qual podemos conhecer mais a Deus.
A bíblia na verdade é um livro resumido que nos expõe bons e maus exemplos de pessoas que foram marcantes na história.
Por exemplo, se Adão e Eva tiveram muitos filhos (gênesis 5.4), porque só as genealogias de Caim e Sete são mencionadas como formadoras da humanidade?
Será que os demais filhos de Adão eram estéreis?
Claro que não!
Tiveram filhos também, mas eles não foram mencionados porque a bíblia não é um livo de histórias, é um livro de ensinamentos; e como o objetivo é ensinar, então os detalhes se tornam desnecessários.
Bem, é isso, não quero ser ofensivo, mas não se torne um produto do meio, pense por conta própria.
Segunda, 28 de Outubro de 2013 17:12 
adotados respondeu:

Mas se um dia os cientistas realmente provarem que o Big Bang existiu. Isso nada interferirá na Bíblia, mesmo porque não há NADA que o Big Bang Contrarie a Bíblia, e nem na Bíblia não há NADA que contrarie o Big Bang.

O ser humano foi o único que Deus criou com as suas próprias mãos.
E só !!!
Todo o resto foi criado simplesmente com ordens verbais:
- Haja tal coisa!
e a tal coisa passava a existir.

De que forma passou a existir o universo sob a ordem de Deus ??
Pode bem ter sido em forma de um Big Bang !!
Segunda, 28 de Outubro de 2013 22:21 
filiperibeiro respondeu:

De tudo de tudo depois de quebrar e quebrar a cabeça o mais coerente é voltar ao que diz em Eclesiastes 3:11

Eclesiastes
3.11 Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo; também pôs a eternidade no coração do homem, sem que este possa descobrir as obras que Deus fez desde o princípio até ao fim.

Segunda, 28 de Outubro de 2013 23:48 
tompsonvieira respondeu:






Adotados,




Este também é meu entendimento.

(1) A luz procedente da nebulosa Andrômeda pode ser observada numa noite clara no hemisfério setentrional. Leva cerca de 2.000.000 de anos para essa luz atingir a terra, o que indica que o universo deve ter pelo menos milhões de anos.

(2) Os resíduos da decomposição radioativa nas rochas na terra atestam que algumas formações rochosas ficaram inalteradas por bilhões de anos.

Gênesis 1:3-31 não está tratando da criação original da matéria ou dos corpos celestes.

Descreve a preparação da terra já existente para a habitação humana.

Isto incluía a criação das espécies básicas de vegetação, vida marinha, criaturas voadoras, animais terrestres e do primeiro casal humano.

Diz-se que tudo isso foi feito dentro de um período de seis “dias”.

Entretanto, a palavra hebraica traduzida por “dia” tem uma variedade de significados, incluindo ‘um longo tempo; o tempo que abrange um evento extraordinário’. (Old Testament Word Studies, Grand Rapids, Mich.; EUA, 1978, W. Wilson, p. 109)

O termo empregado dá margem à ideia de que cada “dia” pode ter sido de milhares de anos de duração.
Terça, 29 de Outubro de 2013 10:16 
evertonchemp respondeu:

Ola irmão Adotados!
O meu objetivo não era dizer que o big bang contraria a bíblia,
mas sim te mostrar que nem todo cientista por mais graduado que seja acredita nessa teoria.
Na verdade, eu queria colocar um “porque“ na sua mente.
Porque existem cientistas que não acreditam no big bang?
Porque esses cientistas também não acreditam na evolução?
Porque não existem provas para essas teorias?
Porque não existem espécies intermediárias?
Enfim, queria te mostrar o outro lado, o lado que as escolas não ensinam e que a mídia não divulga.
Mas, como havia dito antes, não quero interferir na sua resposta.
E na verdade, até acredito na possibilidade de que os dias da criação não representavam períodos de 24 horas.
Terça, 29 de Outubro de 2013 16:28 
adotados respondeu:

Eu vou procurar ler aqueles links que tu colocou aqui.
Mas tudo que eu li até hoje sobre negações a respeito do Big Bang e a Teoria da Evolução eu achei um pouco de forcação de barra.
Eu creio que possa ter existido sim o Big Bang, e também creio PARCIALMENTE na Teoria da Evolução das Espécies (creio que os animais evoluiram uns dos outros a partir de um ser vivo elementar COM EXCEÇÃO DO HOMOSAPIENS). O Homosapiens foi criado a parte (pelas mãos de Deus).
Quarta, 30 de Outubro de 2013 09:00 


mopimaju

Nível 4
Quando a Bíblia trata de profecia, um (1) dia significa um (1) ano, tal qual ocorre na profecia das setenta semanas e das duas mil e trezentas tardes e manhãs. Creio que na criação não há, especificamente, sinais ou descrições proféticas, e sim atos descritivos da ação de um Deus pessoal que falou e tudo se fez. A história da criação do universo se encontra no gênesis do capítulo 1 ao 11, sendo um livro descritivo histórico do povo de Deus. Aqui, geralmente, entende-se como se lê, diferentemente dos simbólicos livros do Apocalipse e de Daniel. Deus fez o céu literal. Deus fez as árvores de forma literal. Deus fez o sol e a lua literais, isto é, eles são reais porque foram realmente criados desta forma. Então, sendo o relato da criação DESCRITIVO, não há razão para pensarmos, no meu ponto de vista, que um dia seja um ano ou em “eras“ como muitos afirmam. Ademais, Deus descansou no sétimo dia, sendo este o descanso exigido por Deus ao Seu povo ao longo da história: 24h da tarde de sexta-feira à tarde de sábado. Se este dia não fosse um, mas muitos dias, qual o sentido do descanso requerido por Deus em apenas vinte e quatro horas? Considerando, também, a definição na criação de “tardes e manhãs“, na minha concepção, não há espaço para outro pensamento que não o de dias (24hs) literais.
Terça, 29 de Outubro de 2013 23:15 


waikyna

Nível 3
Concordo com o posicionamento de evertonchemp quando ele diz que pouco importa se a Terra foi criada em 7 dias literais ou em um período maior de tempo! O fato que precisamos saber é que Deus é o criador de todas as coisas e nós somos feituras suas para glorificá-lo. Também sabemos que Deus é poderoso para fazer tudo o que ele fez em 7 dias literais, mas também poderia ter criado no tempo que lhe achasse mais conveniente. No entanto, as várias traduções da Bíblia me induzem a pensar que Deus fez em 7 dias literais, porque olha o que diz: “E Deus chamou à luz Dia; e às trevas chamou Noite. E foi a tarde e a manhã, o dia primeiro.“ (Gn 1:5) em outra versão: Deus chamou à luz dia, e às trevas chamou noite. Passaram-se a tarde e a manhã; esse foi o primeiro dia. Logo, ou as traduções acabaram induzindo a se pensar dessa forma, porque indica uma transição de tempo entre tarde e manhã para o dia seguinte, ou realmente Deus criou em 7 dias literais! Mas, reitero que o conhecimento mais importante é compreender que Deus é o criador e nós somos feituras suas para glorificá-lo. Graça e Paz a todos!
Terça, 12 de Novembro de 2013 09:39 


tompsonvieira

Nível 5





Waikyna,




Olá,waikyna bem, concordo que assim como vc muitos pensam desta forma, isto é, que os dias foram de 24 horas. Sobre Gênesis 1:5 veja que o texto diz:

João Ferreira de Almeida Revista e Atualizada

Gênesis 1:5

Chamou Deus à luz Dia e às trevas, Noite. Houve tarde e manhã, o primeiro dia.

Note que aqui, apenas uma parte do período de 24 horas é definida pelo termo “dia”.

Não é incomum uma pessoa falar dos “dias de seus avós”, querendo dizer o inteiro período de vida deles.

Assim também a Bíblia emprega o termo “dia” para descrever um período de tempo de certa duração. (Compare com 2 Pedro 3:8.)

De modo que os ‘dias’ mencionados em Gênesis, capítulo 1, é razoavelmente de uma extensão de milhares de anos.

Muitas descobertas científicas feitas durante os últimos cem anos realmente desacreditariam a Bíblia, se estes dias fossem de 24 horas!.

Um estudo cuidadoso do texto bíblico revela que não há conflito com os fatos científicos comprovados.

Terça, 12 de Novembro de 2013 16:30 


knoxknox

Nível 6
FONTE:http://martelodocarpinteiro.blogspot.com.br/

A POLÊMICA ATUAL SOBRE GN 1 E 2
---
Atualmente há muitos crentes que ficam confusos quanto aos capítulos 1 e 2 de Gênesis, porque o que é narrado ali não se encaixa de forma alguma nas teorias científicas que eles ouvem hoje sobre a origem do mundo.
A ciência naturalista supõe atualmente uma idade de 4,5 bilhões de anos para o nosso planeta, enquanto se conferirmos na Bíblia, somando os anos revelados em toda a Escritura em textos bíblicos como “E Adão viveu cento e trinta anos, e gerou um filho (...), e pôs-lhe o nome de Sete (...) E viveu Sete cento e cinco anos, e gerou a Enos. (...) E viveu Enos noventa anos, e gerou a Cainã.” (Gn 5:3,6,9)”, chegamos a não mais de 7.000 anos de Criação do mundo. A ciência naturalista supõe que nosso mundo evoluiu lentamente ao longo desses supostos bilhões de anos, enquanto que a Bíblia revela que o planeta foi criado repentinamente, no espaço de seis dias.
Em vista dessas discordâncias, alguns crentes sugerem que: (A) a narrativa de Gn 1-2 não contenha necessariamente verdades científica, mas seja focada nas verdades religiosas; ou que (B) a narrativa não seja literal, mas seja simbólica; ou ainda que (C) os seis dias sejam considerados ‘eras’, não sejam dias de 24 horas.
Poderíamos perguntar quantos crentes pensaram nessas hipóteses antes de surgirem as teorias científicas do século XIX, ou ainda, se tais teorias não tivessem surgido, por acaso alguém imaginaria essas possibilidades, o que, em caso de resposta negativa, nos induziria a pensar que tais crentes (?) querem corrigir a Bíblia pela Ciência.
Mas em vez disso, verifiquemos se o restante da Bíblia suporta essas sugestões, afinal de contas, o melhor intérprete da Bíblia é a própria Bíblia.

a) A Bíblia esclarece se Gn 1-2 contém verdades científicas ou se foca em verdades religiosas?
A Bíblia não faz essa classificação. Na visão bíblica, o que é verdade, é verdade, e o que é falso, é falso. Fazer uma distinção artificial, improvisada e forçada entre verdade religiosa ou verdade científica é uma maneira daqueles que crêem mais na palavra dos homens do que na Palavra de Deus dizerem, de forma indireta, que a Bíblia contém verdades religiosas, mas pode conter erros científicos. Entretanto a Bíblia diz: Tua Palavra é a verdade (Jo 17:17), Toda a Palavra de Deus é pura; escudo é para os que confiam nEle (Pv 30:5), toda a Escritura é divinamente inspirada (2Tm 3:16), a Escritura não pode ser anulada (Jo 10:35) e Deus (...) não pode mentir (Tt 1:2), portanto tudo que Ele diz na Bíblia, tem de ser verdade, tanto científica quanto religiosa.

b) A Bíblia esclarece se Gn 1-2 é simbólico ou literal?
Sim! Sl 33:6,8,9 diz “pela palavra do SENHOR foram feitos os céus, e todo o exército deles pelo Espírito da Sua boca. (...) Tema toda a terra ao SENHOR; temam-no todos os moradores do mundo. Porque falou, e foi feito; mandou, e logo apareceu”. Nada há de simbólico aqui. Devemos temer ao SENHOR, justamente porque Ele é tão poderoso a ponto de ter criado o mundo pela Sua Palavra. Vejamos como o verso 9 confirma uma Criação rápida: Deus falou e as coisas foram aparecendo, portanto, segundo Salmos 33:6,8,9, a narrativa da Criação de Gn 1-2 é literal.

c) A Bíblia esclarece se os seis dias de Gn 1 podem ser considerados ‘eras’, ou são dias de 24 horas?
Sim! Em Ex 20:9-11 lemos: Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR teu Deus; não farás nenhuma obra, (...) Porque em seis dias fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o SENHOR o dia do sábado, e o santificou. Aqui temos um mandamento para que imitemos a Deus na divisão do nosso tempo semanal, Deus nos ordena que, assim como Ele criou o mundo em seis dias e descansou no sétimo, nós também trabalhemos seis dias na semana e consagremos a Ele o descanso de um dia por semana. Ora, se os dias da Criação fossem eras compostas por milhares ou milhões de anos, nenhum ser humano poderia cumprir esse mandamento, pois não viveria tempo suficiente. Portanto, este mandamento esclarece que os dias de Gn 1 são dias literais de 24 horas.

Concluímos que as três sugestões acima são anti-bíblicas, pois contradizem a interpretação que a própria Bíblia faz de Gn 1-2.

- - -
- - -

QUAL A RAIZ DESTA DESCRENÇA MODERNA NA PALAVRA DE DEUS?
---
Na verdade toda esta polêmica ocorre por causa de um conflito de filosofias: a do NATURALISMO contra a do SOBRENATURALISMO.

NATURALISMO é uma filosofia que afirma que tudo o que acontece no Universo é natural, ocorre dentro das leis da Natureza, e, portanto, pode ser examinado ou explicado cientificamente. Tal teoria aparece com mais força em nossa sociedade a partir do século XIX, e desde então, vem galgando espaço nos centros de formação de conhecimento (universidades e escolas, por exemplo) até se tornar a maioria do pensamento secular e tentar de todos os meios expulsar a Deus do pensamento humano contemporâneo. Essa filosofia é demonstrada, por exemplo, quando as reportagens jornalísticas sempre invocam a ‘Ciência’ para explicar determinado fenômeno observado, e tratam a opinião científica como autoridade máxima para explicar o mundo.

SOBRENATURALISMO é outra filosofia diferente, a qual afirma que, dentre as coisas que acontecem no Universo, a maior parte seria composta de eventos naturais, que ocorrem dentro das Leis da Natureza, e podem ser estudados cientificamente. Mas que ao mesmo tempo, no Universo TAMBÉM podem ocorrer eventos sobrenaturais, que não seguem as Leis da Natureza, e por isso, não podem ser estudados ou explicados cientificamente.

Será que teríamos a opção de decidir entre essas duas filosofias conflitantes?
Diz a Palavra: Também vos notifico, irmãos, o evangelho que já vos tenho anunciado; o qual também recebestes, e no qual também permaneceis. Pelo qual também sois salvos se o retiverdes tal como vo-lo tenho anunciado; se não é que crestes em vão. Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras (1Co 15:1-4). Ora, aqui o apóstolo resume o Evangelho à sua forma mais básica e que deve ser crida por todo cristão, para que ele seja salvo. Reparemos que mesmo nessa forma mínima, o Evangelho já contém eventos sobrenaturais, como o das Escrituras Sagradas terem previsto exatamente o que Cristo iria fazer, bem como o fato dEle ter ressuscitado dos mortos.

Assim o cristão não tem opção, a não ser adotar a filosofia SOBRENATURALISTA. Caso ele adote a filosofia NATURALISTA, ele está contradizendo a sua própria confissão de fé, pois no NATURALISMO, eventos sobrenaturais não podem acontecer. Para se ter uma idéia, se um cientista naturalista presenciasse algum dos milagres de Jesus, ele iria dizer que estava diante de algum fenômeno natural desconhecido, e que precisava ser melhor estudado. Nenhum diálogo é possível com essa gente a não ser “O Reino de Deus está próximo. Arrependei-vos e crede no Evangelho (Mc 1:15)”.

Porque, então, algum cristão sequer permitiria que teorias, hipóteses, idéias e suposições que nasceram de um ambiente de DESCRENÇA, a qual leva os homens para o INFERNO, terem algum crédito em sua mente, ao ponto de abalar a sua confiança na exatidão literal daquilo que DEUS DISSE sobre o modo como Ele criou o mundo? Assim diz o SENHOR: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do SENHOR! (Jr 17:5).

Ora, o que Deus diz é que Ele criou o mundo de forma SOBRENATURAL, pelo PODER DA SUA PALAVRA.
Não cabe então nenhum questionamento. A luz foi criada antes do Sol e das estrelas, os peixes e pássaros foram feitos da água, os animais terrestres foram feitos da terra, o primeiro homem foi feito do pó e a primeira mulher foi feita de uma costela.
O que nós temos são SEIS DIAS DE MILAGRE CONTÍNUO; tudo narrado em Gn 1:1-2:3 é sobrenatural, até porque a Natureza é que estava a ser criada, não havia nada ‘natural’ ainda! É da demonstração do PODER INFINITO DE DEUS que estamos falando.
Será que alguém pediria também alguma explicação científica para Jesus andar sobre as águas? Alguém quer saber como um pouco de barro curou um cego de nascença? Ou como Jesus multiplicou os pães? E limpou leprosos instantaneamente? E qual a explicação em termos naturais para a Ressurreição de Cristo? Para a Sua Ascensão? Sua Volta em glória? Se nenhum de nós pede explicação para os milagres de Jesus, porque o faríamos para o milagre de Deus criar o mundo em seis dias literais?

Está fora do alcance da ciência naturalista examinar qualquer evento sobrenatural. Se há incompatibilidade entre a narrativa bíblica e alguma teoria científica, certamente é porque a teoria científica está errada, e ela sempre vai estar certamente errada quando negar a ocorrência de milagres que Deus revela ter realizado pelo Seu poder.
Aliás, toda afirmação, idéia, hipótese, filosofia, ciência e teoria, de todo o mundo, em todos os tempos, ditas por quaisquer homens, sempre estarão CERTAMENTE ERRADAS em tudo que afirmarem em contradição a qualquer uma de todas as verdades que Deus afirma na Bíblia, ou mesmo de qualquer uma de todas as implicações lógicas possíveis das verdades bíblicas (veja especialmente Jo 10:34-36; e, novamente, Jo 17:17; Pv 30:5; 2Tm 3:16 e Tt 1:2).

Se alguma harmonização entre a Narrativa Bíblica da Criação e as teorias científicas modernas fosse necessária (e que fique bem claro que não é), esta deveria ser feita sem rebaixar a Palavra à falibilidade, sem admitir erro na Escritura, nem mentira em Deus, nunca corrigindo a Bíblia pela Ciência, mas sempre corrigindo a Ciência pela Bíblia.
Talvez pudéssemos dizer:
“Que Deus criou o mundo e tudo que nele há, em seis dias literais, a poucos milhares de anos atrás, mas o criou com aparência de idade mais antiga. Sendo essa aparência de idade antiga aquilo que os cientistas estudam, esse é o motivo deles afirmarem uma idade antiga para o mundo.
Tal como se, supondo nós que Deus criou Adão adulto, nós encontrássemos Adão um mês depois dele ter sido criado. O que vemos? Um homem aparentando uns vinte anos de idade. Jamais diríamos que ele tem apenas um mês de idade, pois um ser humano de um mês tem aparência de bebê, e não de adulto.
Da mesma forma, Deus então teria criado de forma SOBRENATURAL um mundo adulto, e assim está fora da capacidade dos cientistas medir corretamente a idade deste mundo enquanto adotarem a filosofia do NATURALISMO, pois a mesma nega de forma fanática, irracional e injustificada, a possibilidade de eventos sobrenaturais.”
Mas essa não é a maneira mais bíblica, nem a mais precisa, de se tratar esse assunto. Bem melhor é dizer ao naturalista:


– Já sei que essa tal teoria está errada.
– Por quê?
– Porque ‘ASSIM DISSE O SENHOR DEUS EM SUA PALAVRA’...
Segunda, 06 de Janeiro 14:58 


Conteúdo liberado apenas para usuários cadastrados no site

  Faça Login   ou   Cadastre-se Grátis  









Gospel 10 na Internet
Crie um tópico no Fórum

Newsletter
Receba as novidades do Gospel 10 periodicamente, diretamente em seu e-mail.

E-mail:


Atenção: Os conteúdos postados no site não revelam, necessariamente, a opinião do Gospel 10.
A maioria são enviados pelos usuários, que podem ter opiniões teológicas diferentes dos idealizadores deste site

Gospel10.com › Portal Evangélico Ajuda |  Política de privacidade |  Termos de uso |  Quem somos |  Fale conosco
 Gospel 10 › 2008-2014. v4. Todos os direitos reservados