Cadastre-se Grátis  |  Esqueci a senha
login:   senha:  


mariosilva

Nível 1

Lei de Moisés ou lei de Cristo?

Qual delas você acha que está sendo usada nas denominações evangélicas?
Categoria: Bíblia  |  345 visualizações |  45 respostas  
Sexta, 24 de Janeiro 14:27  | Compartilhe esse link:

45 respostas para este tópico



<< Anterior 1 2 Próxima >>


mopimaju

Nível 4
De Cristo, claro!
Teólogos reconhecem que há, no AT, Leis morais e cerimoniais. Esta distinção era aceita também por outros teólogos, como John Wesley.
As leis cerimoniais foram pregadas na cruz e estamos desobrigados de segui-las.
Já as imutáveis e eternas Leis morais (os dez mandamentos), em sua versão original descrita em Ex 20, são eternas. O Decálogo é uma expressão do caráter de Deus e foi revelado pelo próprio Deus para servir-nos de parâmetro para o pecado.
A Lei divina jamais pode salvar alguém, uma vez que a salvação vem pela graça, contudo é desejo de Deus que andemos em novidade de vida sem transgredir os mandamentos, pelo contrário, praticando boas obras que são reflexos de uma nova vida (Ef 2:8-10).
Considerando que, no monte Sinai, os dez mandamentos foram dados pelo próprio Deus e não por Moisés, não há, portanto, razão para discutirmos se a Lei moral, os dez mandamentos, deve ser seguida nos dias de hoje nos seus termos originais (Ex 20). Desconheço que essa Lei tenha sido dada por outro que não pelo próprio Deus.
Sábado, 25 de Janeiro 15:47 


fernando2

Nível 24
A lei do “EU“. : Eu determino! Eu amarro!
É o culto do eu. Minha vitória, meus inimigos...
O objeto principal do culto tem sido o “eu“...
Sábado, 25 de Janeiro 20:33 


evertonchemp

Nível 7
Eu realmente não gosto de teologia, mas vamos lá...
Na verdade, existem 7 dispensações, ou períodos em que o homem é experimentado por Deus; são elas:
1- Inocência (Período antes da queda do momem)
2- Consciência (período da queda do homem até o dilúvio)
3- Governo humano (período pós diluvio até a chama de Abraão)
4- Patriarcal ou promessa (período do chamado de Abraão até o êxodo)
5- Lei (período do êxodo até a cruz)
6- Graça (período da cruz até o arrebatamento)
7- Reino ou milênio (período durante o milênio)
Veja que Deus vem tratando com o homem de forma mais presente a cada dispensação; desde a inocência onde o homem havia recebido apenas uma instrução de Deus, até a Graça, que é a sexta dispensação (sobre a sétima, ela ainda não veio, então não posso falar muita coisa).
Primeiro Deus deu uma instrução, depois veio a consciência, líderes, família escolhida, Lei e ordenanças para uma nação e posteriormente ensinamentos e libertação para todo o ser humano (repito, estou falando da primeira à sexta dispensação).
Mas como o tópico fala apenas de duas, isto é, da Lei e da Graça, então vou me limitar somente sobre elas.
Jesus não se tornou Mestre quando veio ao mundo em carne e osso, Ele sempre O foi juntamente com o Pai e o Espírito Santo desde a criação.
Vejo a árvore do bem e do mal como um ensinamento de Deus ao homem; talvez um início do conhecimento acerca do bem e do mal.
Até mesmo lucifer; quando Jesus diz que ele nunca se firmou na verdade (João 8.44), entendo que ele nunca aceitou, entendeu a verdade...
Pois bem, assim como as demais dispensações, a Lei veio para ensinar os homens...
Para preparar o caminho para a Graça que na verdade sempre foi o propósito de Deus. E posteriormente, o milênio, que é quando estaremos com Ele.
Posso afirmar isso, baseado em: Ora, tendo a Escritura previsto que Deus havia de justificar pela fé os gentios, anunciou primeiro o evangelho a Abraão, dizendo: Todas as nações serão benditas em ti. Gálatas 3:8.
Ou seja, Deus disse a Abraão que um dia a Graça (justificação pela fé) viria.
Ou seja, este sempre foi o propósito de Deus.
Mas como Deus sempre quis ensinar a humanidade o caminho a seguir e o tem feito desde a primeira dispensação, Deus decidiu de forma mais próxima ensinar ao homem o caminho certo.
Não um caminho de imposições e proibições, mas um caminho de Amor a Deus e ao próximo.
Se analisarmos os 10 mandamento por exemplo, veremos que apenas 2 são voltados a Deus de forma direta, são eles: não terá outro deus diante de Mim (êxodo 20.3) e não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão (Êxodo 20. 7).
Os outros 8 mandamentos falam acerca de respeito com os pais e convívio uns com os outros.
Até mesmo o mandamento acerca do sábado era mais por causa do homem do que para manisfestar uma vontade Divina ao pé da letra. Jesus afirma isso em: E disse-lhes: O sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado. Marcos 2:27. Ou seja, quando Deus criou o sábado, Ele estava pensando em abençoar o homem, e não em impor algo sobre ele.
Até mesmo a lei de guardar o sábado foi feita por amor a homem.
Na verdade, praticamente todos os mandamentos eram formas de Deus manifestar seu cuidado pelo homem.
As lei acerca dos animais que se podiam ou não comer, era para a saúde deles, pois naquele tempo muitos animais como os porcos por exemplo, eram carniceiros (comiam cadáveres em decomposição), e isso não era saudável.
A lei da purificação da mulher era para benefício dela, pois o homem não podia impor sobre ela uma relação sexual nesse período doloroso para ela; e outras mais.
Mas, Deus sabia que só se sabe o valor de algo que se recebe de graça, se tivermos que trabalhar por ele antes.
Por isso, veio a Lei, para nos mostrar o que é justiça ao pé da letra, o que é pecado e suas consequências...
Apenas após esse período de ensinamentos, em que o homem passou a entender o que é punição, aí sim veio o perdão.
Todas as dispensações, foram na verdade uma preparação para a Graça.
Um ensinamento para que pudéssemos compreende-la quando ela chegasse.
Porém, assim como as 5 dispensações passaram, hoje estamos na sexta, onde a única lei que devemos cumprir é a Lei de Cristo; que são elas:
E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.
Este é o primeiro e grande mandamento.
E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.
Mateus 22:37-39.
No v-40 diz: Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.
Isto é, tudo se cumpre e termina neles.
Sábado, 25 de Janeiro 21:15 


herick

Nível 2
Muitos se tem confundido sobre o verdadeiro papel da lei e o da graça, e muitos outros ainda dizem que as duas, lei e graça, não podem anda juntas uma com a outra. Pessoas marcam um período em que termina a lei a começa a graça, mas na Bíblia não mostra uma data inicial da graça. Claro que a lei não nos salva, mas todos sabem que somos salvos pela graça mediante a fé, e que a fé sem obras é morta, e as obras da fé é fazer a vontade de Deus explícita em sua lei. Abaixo segue o link de um artigo muito interessante e completo sobre esse tema, intitulado Lei e Graça. Vale a pena analisar em:

http://www.espacodateologia.com/lei-graca/
Domingo, 26 de Janeiro 07:50 


mopimaju

Nível 4
Evertonchemp, o que você quis dizer com “Jesus não se tornou Mestre quando veio ao mundo em carne e osso, Ele sempre O foi juntamente com o Pai e o Espírito Santo desde a criação.”?. Você acha que Jesus nasceu 100% Mestre Onisciente, é isso?

Evertonchemp disse: “Se analisarmos os 10 mandamento por exemplo, veremos que apenas 2 são voltados a Deus de forma direta, são eles: não terá outro deus diante de Mim (êxodo 20.3) e não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão (Êxodo 20. 7)”. Acho que você não está correto em sua afirmação. Vamos rever os quatro primeiros mandamentos de Ex 20?
1-Não terás outros deuses diante de mim.
2-Não farás para ti imagem de escultura...porque eu, o Senhor teu Deus...
3-Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão...
4-Lembra-te do dia do sábado, para o santificar... Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus... Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o Senhor o dia do sábado, e o santificou.
Bom, acho que esses quatro, indiscutivelmente, fazem alusão DIRETA ao Deus único criador. Ou você discorda? Acho que está claro, não é? Então reveja sua colocação de que apenas 2 são voltados a Deus de forma direta.

Evertonchemp disse: “Os outros 8 mandamentos falam acerca de respeito com os pais e convívio uns com os outros.”. Nenhum dos quatro mandamentos que citei acima, tirados diretamente de Êxodo 20, falam da relação entre pais e filhos ou da relação de uns com os outros. Eles falam da nossa relação direta com Deus. Percebeu?

Evertonchemp disse: “quando Deus criou o sábado, Ele estava pensando em abençoar o homem, e não em impor algo sobre ele.”. Amigo, a exemplo de toda a lei, Deus não deseja impor nada a ninguém. Temos o livre arbítrio. Quem quiser ser salvo, é só aceitar. A salvação é de graça. Entretanto, Deus precisou escrever a Sua Lei para que todos os povos de todas as gerações, inclusive a nossa, saibam dos limites do pecado. Deus revelou Sua Lei para que ninguém ande em pecado. A isto, está incluído o Sábado. Ou você acha nas escrituras algum verso bíblico de que o sábado foi revogado?

É claro que o sábado foi feito para o homem e não o homem para o sábado. Contudo, este verso não anula a guarda do sábado, tampouco Jesus anulou o sábado ou a lei: “Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim abrogar, mas cumprir.” O termo “cumprir“ vem do hebraico “plēroō“ que quer dizer “encher completamente, aperfeiçoar“ Fonte: Bíblia de Estudo PALAVRAS CHAVE, Hebraico-Grego, CPAD, pág 998, ref. pág 4136. Mateus 5:17. Muito pelo contrário. Jesus disse que a Lei, incluindo o sábado, é eterna e jamais mudará: “Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til jamais passará da lei, sem que tudo seja cumprido.” Mateus 5:18. Na verdade, Jesus foi muito mais rigoroso em relação a Lei, incluindo o sábado: “Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus.” Mateus 5:19. Aqui, Jesus mostra Seu desejo que TODOS cumpram a Lei.

Concordo, plenamente, com você em relação aos alimentos. Tudo é uma questão de saúde e não de salvação. Só faltou citar os frutos do mar e outros animais. Ademais, os porcos continuam fazendo mal à saúde, assim como caranguejo, o camarão, ostras, mexilhões etc.

Em relação à purificação da mulher, também concordo com você. Era uma questão de saúde, também. Ainda hoje não é recomendado ter relações sexuais com a mulher menstruada devido maior chance de problemas de saúde, como DSTs e infecção urinária, por exemplo.

Everton, quando Jesus resumiu toda a Lei em 2 mandamentos, eu compreendo perfeitamente. Os quatro primeiros mandamentos falam do amor que devemos manifestar ao nosso Deus. Os seis seguintes falam do amor que devemos para com o próximo. Simples assim. Jesus não aboliu, com isso, a Lei dos dez mandamentos. Tanto é que não podemos matar, roubar, mentir ou adulterar, correto? Assim como não podemos adorar imagens de escultura, falar ou testemunhar o nome de Deus em vão ou, ainda, guardar o domingo ao invés do sábado, correto? Ou você vai me mostrar na Bíblia que Jesus revogou apenas o sábado da lei???

Entro em desacordo com você quando você diz que já passamos da dispensação da Lei. Quero te fazer umas perguntas? Na sua opinião, a Lei de Deus, os dez mandamentos, já era conhecida antes do Sinai ou só foi dada aos judeus no Sinai? Outra pergunta: A Lei já era conhecida por Adão e Eva ou não? A última pergunta: A Lei já era conhecida no céu antes do Éden ou não?
Domingo, 26 de Janeiro 11:33 


mopimaju

Nível 4
Concordo, plenamente, com você herick
Domingo, 26 de Janeiro 11:35 


adotados

Nível 9
Os Dez Mandamentos servem como um ESPELHO, para nós nos olharmos neles, e vermos o quanto somos pecadores, sujos, pervertidos, indignos, e imperfeitos !!!

Os Dez Mandamentos são perfeitos, tanto que nenhum ser humano sobre a face da terra conseguiu e conseguirá cumpri-los, a não ser um, o Filho de Deus (Jesus Cristo)
Jesus veio cumprir todos os Dez Mandamentos em nosso lugar, e morrer a morte que nós merecíamos morrer por não os conseguir cumprir.

Mas ele nos deixou um fardo leve, que foi transformar os Dez Mandamentos em Dois Mandamentos que se resumem no AMOR:
- Amar a Deus sobre todas as coisas.
- Amar ao próximo como a si mesmo.

Quer cumprir a Lei de Cristo ??
Então Ame !! Ame !! Ame !! Ame !! Ame !!
...
Domingo, 26 de Janeiro 12:05 


dsfcristao

Nível 1
Infelizmente a maioria das igrejas ditas cristãs evangélicas estão na dispensação da desgraça.
Somente a misericórdia de Deus e sempre ela, nos livra da morte eterna.
Abraão creu, teve fé e isto foi posto a ele como justiça.
A Lei de Deus expressa seu caráter. A humanidade nunca compreendeu . pensa até hoje que pode fazer algo para sua salvação. Não entendiam os holocaustos pois pensavam que aquilo abrandava o coração de Deus.Mas Ele só estava ensinando o caminho Cristo. Até hoje alguns não entendem o sacrifício na cruz.
A lei é orientação e sempre foi. A diferença é que aqueles que crêem e entendem a vivem. Os que não entendem pensam que tentando segui-la alcançarão graça. É o Espírito Santo que nos habilita as coisas de Deus, não somente nossa vontade. Em nossa condição pecaminosa, nada do que é do Céu nos é possível fazer. Só Cristo em nós quem pode.
Fiquem com Deus.
Domingo, 26 de Janeiro 12:15 


evertonchemp

Nível 7
Ola irmão Mário Lobato!
Eu não acho, eu tenho certeza que Jesus é Onisciente!
Jesus é uma Pessoa da Trindade!
Talvez você esteja pensando o contrário baseado em Mateus 24.36 onde Jesus afirma que apenas o Pai sabe o dia da arrebatamento.
Lembre-se que nessa ocasião, Jesus ainda estava na posição de servo e totalmente vazio de sua Glória (ou de sua Divindade)Filipenses 2:7.
Jesus viveu como um ser humano totalmente dependente do Pai, e sem seus atributos Divinos. Por isso Ele naquela ocasião não sabia, pois estava na posição de homem e não de Deus.
Mas antes e depois de seu período aqui na Terra, é claro que Ele era, e é Onisciente!
Aliás, Se em Jesus faltasse pelo menos um dos atributos Divinos, Ele não poderia ser considerado Deus, e nem uma pessoa da Trindade!
Acerca das Leis.
Quando Deus estabeleceu sua primeira Lei no Éden, Ele não estava dizendo:
Ou você faz a minha vontade ou eu vou te condenar!
Absolutamente não!!
Esse não era o propósito de Deus!
Aliás, nem uma das leis ou mandamentos tem esse propósito.
Como eu disse antes, as Leis eram mais para nosso benefício do que para cumprir uma vontade de Deus ao pé da letra.
Desde o início, Deus usou as Leis para nos ensinar.
Ou porque você acha que Deus plantou uma árvore no jardim e proibiu o home de comer o fruto dela?
Deus queria tentá-lo?
Claro que não!!
Deus queria ensina-lo... Deus é, e sempre foi Mestre.
E sobre o sábado, como você mesmo disse em Mateus 5.17, Jesus veio cumprir a Lei; e o fez por nós.
E se já o fez, então não temos mais que o faze-lo.
Acerca do v-18, Jesus apenas reafirma que toda a Lei será cumprida.
Se bem que Ele não está falando apenas das Leis propriamente ditas; Ele também está falando das profecias do Antigo Testamento.
Tudo se cumprirá.
E acerca de ensinar e cumprir, veja que no v-20, Ele deixa bem claro o porque de suas palavras.
Ele diz que nossa justiça deve exceder a dos escribas e fariseus.
Estes, eram os grande admirados pelo povo na época; os escribas por copiarem os inscritos e ensina-los, considerados os grandes conhecedores da época; e os fariseus, por suas obras de devoção, como: jejuns, ofertas e orações, também ensinavam suas práticas ao povo.
Porém, ambos apenas ensinavam, mas na realidade não as cumpriam.
Jesus está dizendo: Sejam melhor que os melhores (resumidamente).
Acerca de não podermos roubar, matar e afins.
É por causa da Lei de Cristo acerca do amor; quem ama não rouba, não mata, não cobiça...
E Jesus vai mais além; nos vs-21 e 22 Ele diz que se alguém se encolerizar (se irar; enfurecer) contra seu irmão, é digno de condenação assim como aquele que mata.
Jesus explica novamente a questão da Lei do amor, mostrando que ela é ainda mais profunda que a de Moisés.
Acerca de suas perguntas.
As dispensações da inocência e consciência já dizem por si só, que não havia uma sequência de Leis pré-estabelecidas.
Ou seja, antes do Sinai, não havia os 10 mandamentos.
Sobre o Éden, havia apenas uma Lei: não comerás do fruto da árvore que está no meio do jardim.
Antes do Éden, bem, não posso dizer muita coisa, apenas que quando houve a queda de lucifer e da terça parte dos anjos; os que foram reprovados, o foram para sempre; assim como os que foram aprovados também o foram para sempre.
Irmão, toda a Lei de Deus, desde o Éden até Cristo tinha um só objetivo; ensinamento.
Não sei se seus professores de teologia te falaram isso, mas acho que está na hora de pensar um pouco mais sobre o assunto.
Pensar por si só, e não se deter aos limites dos ensinamentos de homens.
Deixe as apostilas de lado.
Chame o Mestre Supremo que é Jesus para te ensinar.
E para começar, vou te deixar uma pergunta: Porque Deus plantou uma árvore no Éden e proibido Adão e Eva de comer dela?
Não teria sido melhor não plantar?
Irmão, Ensinamento é a palavra-chave.
Entenda isso, e entenderá o propósito de toda a Lei.
Domingo, 26 de Janeiro 15:17 


dsfcristao

Nível 1
Louvar ao Senhor e fazer Sua vontade, não a nossa. Pois na Nova Terra virá TODA carne me adorar, de uma lua nova a outra, de um sábado a outro. A LEI de Deus é eterna. Até na Nova Terra. O quarto mandamento remete a adoração, memorial do Criador e Mantenedor de todas adoração coisas.
Estudar as Escrituras, orar ao Espírito Santo.
Fiquem com Deus.
Segunda, 27 de Janeiro 00:07 


mariosilva

Nível 1
Vejo que o debate ficou caloroso. É isso mesmo que eu queria quando abri esse tema no fórum.

Agora vamos voltar ao foco, pois alguns se desviaram dele, não por mal, mas por querer participar mesmo, normal.

Voltando então, vocês citaram diversos assuntos dentro do tema principal, mas o que eu gostaria é de irmos direto para a prática e não para a teoria. Calma, vou explicar o que estou querendo dizer:

Agora tentem enumerar, citar, resumidamente é claro, em poucas palvras, como queiram, quais são as práticas da Lei de Moisés e quais são as práticas da Lei de Cristo? Vejam bem, não peço p/citarem os mais de 600 precietos da Lei de Moisés não, heim, só alguns, a princípio p/ continuarmoos esse assunto polêmico.

Postem, por favor então: Algumas práticas da lei de Moisés e Algumas práticas da Lei de Cristo.

Agradeço a todos que visualizaram e que postaram suas respostas no tema que eu abri.
Segunda, 27 de Janeiro 11:46 


mopimaju

Nível 4
Evertonchemp. Ok. Concordo com você quando dizes que Jesus era Deus antes de Se revestir em carne, bem como Ele é hoje Deus, sob a forma de um corpo humano marcado pelas cicatrizes do amor por nós, para sempre. Pensei que você cria em Jesus homem utilizando-Se Sua natureza Divina para conseguir favores a Si mesmo. Desculpe-me pela má interpretação!

Everton, você não comentou sobre o original hebraico “cumprir” (Pleroo) de Mateus 5:17. Algum motivo especial por esse silêncio? Novamente o sentido original de cumprir não é finalizar, mas aperfeiçoar, preencher completamente, dar sentido pleno. Como alguém pode aperfeiçoar algo que está finalizado? Como você explica isso?

Evertonchemp disse: “E sobre o sábado, como você mesmo disse em Mateus 5.17, Jesus veio cumprir a Lei; e o fez por nós. E se já o fez, então não temos mais que o faze-lo.” Evertonchemp, onde está aqui Jesus citando o Sábado isolado? Jesus falou da Lei inteira e não do Sábado isoladamente. Sendo assim, você quer dizer com isso que...podemos matar? Podemos roubar? Podemos adulterar? Podemos mentir? Podemos guardar o domingo? Pois, segundo sua visão, Jesus já cumpriu toda a Lei em nosso lugar. Então, podemos tudo, mesmo o pecado? Acho que não é bem assim, Evertonchemp, concordas? Não podemos separar a Lei de Deus. Ela é decálogo. São dez leis. Não podemos guardar nove leis e uma não. Estaremos pecando segundo Tiago (“Pois quem obedece a toda a Lei, mas tropeça em apenas um ponto, torna-se culpado de quebrá-la inteiramente.” Tiago 2:10)

Quanto a Mateus 5:18, Jesus está, claramente, dizendo que a Lei vai perdurar eternamente. “Até que passe céu e terra”. Esta é uma expressão de eternidade.

Sim, devemos exceder em justiça os fariseus e escribas. Nos tempos de hoje muitos são os falsos cristãos, líderes de igreja, pastores e padres sem o compromisso com a verdade. Os escribas e fariseus eram legalistas, pregavam a salvação, somente, pelas obras. Jesus veio colocar a Lei no seu devido lugar: Salvos pela graça, mas feitos para praticarmos boas obras (Ef 2:8-10). As boas obras pela Lei são consequência de um coração convertido. Isso que Jesus veio ensinar acerca da Lei.

Evertonchemp, você disse: “Ou seja, antes do Sinai, não havia os 10 mandamentos.”. Gostaria que você explicasse a afirmação de Jesus sobre Lúcifer: “Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira”. João 8:44. Considere que Jesus citou dois dos pecados de Lúcifer, mesmo antes do Sinai, referindo-se à Lei: Não matar e não mentir. A palavra “desde o princípio” lembra o quê, Everton? O céu, antes da criação do mundo. Subentende-se, então, que Lúcifer quebrara os mandamentos antes da criação do mundo, milhares de anos antes do éden. Isso vai de encontro com o que você afirma.

Everton, você disse: “Sobre o Éden, havia apenas uma Lei: não comerás do fruto da árvore que está no meio do jardim.”. Bom, após a queda, entrou o pecado no mundo, correto? Abel e Caim nasceram no pecado, certo? Mas, com base em quê Deus disse que Caim pecou ao matar seu irmão Abel, uma vez que Ele afirmou que o pecado jazia à porta de Caim quando este desejou matar Abel em seu coração? Como você explica? Veja, é sempre a Lei de Deus! Matar, mentir! Percebe? Como pode a Lei de Deus estar abolida hoje em dia se foi, é e sempre será eterna, pois é a expressão do caráter de Deus?

Amigo Everton, exorto você a fazer uma análise imparcial de todos os pontos aqui abordados. Lei antes do Éden, no Éden e depois do Éden. Lei antes do Sinai, Lei até Cristo, Lei após Cristo. Após a morte de Cristo, Paulo jamais revogou a Lei do Senhor. Antes, ele confirmou a Lei (“Anulamos, pois, a lei pela fé? De maneira nenhuma, antes estabelecemos a lei.” Romanos 3:31) e a chamou de santa, justa e boa (“E assim a lei é santa, e o mandamento santo, justo e bom.” Rm 7:12). Jesus não aboliu a Lei como Ele mesmo declarou de forma muito clara em Mateus 5:17. Isso você pode confirmar ao longo de Mateus 5:18 em diante. Jesus veio APERFEIÇOAR a Lei. Tanto é que Ele foi aprofundando muito mais na Lei ao dizer que o adulterar está no coração, mesmo antes da concretização do ato, por exemplo. Ora, se Jesus e Paulo não anularam a Lei, como muitos por aí dizem que a Lei foi abolida? Muita pretensão!
No grande dia do Senhor seremos julgados pelas nossas obras (“E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante de Deus, e abriram-se os livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida. E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras.” Apocalipse 20:12; “E deu o mar os mortos que nele havia; e a morte e o inferno deram os mortos que neles havia; e foram julgados cada um segundo as suas obras.” Apocalipse 20:13). Somos salvos pela graça, mas o caminho do cristão não para por aí. Não podemos ignorar as obras a Deus e ao próximo (“Vedes então que o homem é justificado pelas obras, e não somente pela fé.” Tiago 2:24). Sem as obras, a fé também é morta.

Sua pergunta: “Porque Deus plantou uma árvore no Éden e proibido Adão e Eva de comer dela?”. Respondo: Livre arbítrio. Assim como Deus deu poder de escolha a Satanás e seus anjos caídos, Ele deu a mesma escolha ao homem. Adão e Eva escolheram desobedecer a Deus, violando o primeiro dos mandamentos. Viu? O pecado é a transgressão dos mandamentos (1 Jo 3:4). O casal edênico pecou por transgredir um dos mandamentos que eles bem conheciam e, por isso, não puderam mais ficar na presença do Pai. Agora pense bem: se o casal edênico não conhecesse as regras do pecado (A Lei), Deus não poderia expulsá-los, não é mesmo? Seria injustiça!
Everton, um povo sem Lei é fora da Lei! Ser fora da Lei é ser rebelde. Ser rebelde, é ser pecador: (Porque este é um povo rebelde, filhos mentirosos, filhos que não querem ouvir a lei do Senhor. Isaías 30:9).
Fique em paz, meu irmão.
Beijo (ósculo) santo!
Amém
Segunda, 27 de Janeiro 22:50 
evertonchemp respondeu:

Sai fora!!!
Beijo seu, eu não quero não!!!
kkkkkkkkkkkkkkk!!
Brincadeira!!!
Acredito que a palavra que traduz corretamente o “cumprir“ de Mt 5.17, é “dar sentido pleno“.
Quando Jesus falou acerca da Lei do amor, era exatamente isso que Ele estava fazendo.
Mostrando o sentido real dos 10 mandamentos; amor a Deus e ao próximo.
Quem ama a Deus não busca outros deuses; quem ama o próximo não rouba, não mata...
Os demais versículos apenas comprovam que essa era o que de fato Jesus estava falando.
Além disso, quando falei sobre o sábado, não disse que Jesus cumpriu apenas ele, apenas o destaquei dentre os demais mandamentos porque você o havia posto em evidência. Jesus cumpriu todos os 10 mandamentos, portanto não precisamos cumpri-los mais.
Dizer que a expressão “passar o céus e a terra“ da sentido de eternidade, está totalmente fora do contexto. Como se mesmo depois de salvos e morando no céu, ainda tivéssemos de cumprir os 10 mandamentos.
Quando formos morar no céu, seremos impecáveis, como os anjos são hoje. Portando dizer que os 10 mandamentos ainda estarão em vigor lá no céu é totalmente herético (sem ofensas).
Lá seremos incapazes de roubar, matar, cobiçar...
Essa expressão penas enfatiza a certeza de que tudo se cumprirá.
E como tudo já se cumpriu; as Leis e as profecias, então agora os céus e a Terra podem passar...
Sobre podermos roubar, matar e afins hoje; expliquei isso no comentário anterior.
Bem, uma coisa deve ser esclarecida aqui.
Pecado não apenas transgredir a Lei; pecado é principalmente fazer algo que vai contra a vontade ou natureza de Deus (errar o alvo).
Isso explica o homicídio (matar um semelhante) de lúcifer, pois foi ele que induziu os anjos (seus semelhantes) a se rebelarem contra Deus. E sobre a mentira, Jesus é a verdade; lucifer fez algo contrario a Deus. Em outras palavras, tanto o homicídio quanto a mentira, eram pecados sim; não porque havia uma lei de proibição, mas porque eram contrários a vontade de Deus. lucifer errou o alvo.
Isso também explica o pecado de Caim e de todos antes do diluvio.
Sobre existir os 10 mandamentos no Éden, chega a ser ilógico afirmar isso. Veja que o décimo mandamento é :não cobiçarás (Êx 20.17).
Ora, como Adão iria cobiçar algo que pertencia a Eva se ambos tinham exatamente as mesmas coisas? Ou como ele iria cobiçar outra mulher se só tinha Eva?
Os 10 mandamentos foram instituídos no Sinai, e não antes dele.
Além de tudo isso, se já haviam os 10 mandamentos, então porque Deus plantou a árvore do conhecimento do bem e do mal?
você ainda não entendeu o propósito dessa árvore...
Outra coisa, Paulo nunca pregou os 10 mandamentos!
Ele era um apóstolo gentílico.
Pregava para povos que não conheciam, repito, não conheciam os 10 mandamentos.
Então Paulo deveria deixar escrito em suas cartas a exortação de os cumprir. Mas isso não acontece em nem uma de suas cartas. Nem mesmo a guarda do sábado (tão defendida por você).
As igrejas gentílicas não guardavam o sábado, nem o domingo, nem dia nem um.
Mais uma vez, esqueça as apostilas...
Terça, 28 de Janeiro 13:55 


mopimaju

Nível 4
Olá prezado MárioSilva. Você é meu xará conforme o Evertonchemp revelou.
Você se refere ao decálogo? Bom, em minhas explanações deixei bem claro que a Lei de Deus é só uma. Moisés instituiu diversas leis judaicas (mosaicas) das quais estamos desobrigados de guardar após a morte de Jesus na cruz (leis cerimoniais). A Lei de Deus (Leis morais) não foi dada por mãos humanas, mas pelo próprio Deus. Moisés não pode, jamais, levar o título de autor da Lei, pois Ex 20 revela, explicitamente, quem foi o autor da Lei. Não foi outro, senão o próprio Deus. Portanto, não há como comparar a autoria da lei, haja vista que só Um é o Autor. Sendo Jesus Deus, Ele é o autor da Lei. Concluímos, portanto, que A Lei no Sinai foi dada por Jesus e ratificada por Ele mesmo no sermão do monte (Mt 5:17). Deus não pode se contradizer jamais, pois não seria Deus se assim o fizesse. Tudo o que Ele fez ainda persiste. “Haja luz“. Temos luz até hoje. Água, terra, animais e homens. Tudo persiste até hoje. A Lei não pode desaparecer jamais, pois serve de sinal entre Deus e o Seu povo (Ex 20).
A paz do Senhor.
Segunda, 27 de Janeiro 23:05 
mariosilva respondeu:

Oi “Xará“

Dentro da sua esplanção você não citou o que eu pedi, a saber o que disse:
- Agora tentem enumerar, citar, resumidamente é claro, em poucas palvras, como queiram, quais são as práticas da Lei de Moisés e quais são as práticas da Lei de Cristo? Vejam bem, não peço p/citarem os mais de 600 precietos da Lei de Moisés não, heim, só alguns, a princípio p/ continuarmoos esse assunto polêmico.

Postem, por favor então: Algumas práticas da lei de Moisés e Algumas práticas da Lei de Cristo.

Fico no aguardo.
Terça, 28 de Janeiro 10:49 


joao832

Nível 3
De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, para que pela fé fôssemos justificados. Mas, depois que veio a fé, já não estamos debaixo de aio.
Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus.
Porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo.
(Gálatas 3:24-27)

A lei e os profetas duraram até João; desde então é anunciado o reino de Deus, e todo o homem emprega força para entrar nele.
(Lucas 16:16)

Já não mais está vigente a guarda ou tutela da Lei uma vez que por meio de Jesus fora estabelecida a nova aliança. E esta nova aliança já não consiste em ordenanças cerimoniais tais como circuncisão, ofertas pelos pecados, sacerdotes que intermediam entre Deus e os homens, pois o sacrifício de Jesus foi único e definitivo, pois pelo Seu sangue o homem pode obter redenção.
Rasgou-se o véu, já não há mais separação entre Deus e o homem bem como não mais há necessidade de um sacerdote que interceda pelo povo e por si próprio, pois Cristo é o mediador entre Deus e os homens.

Entretanto, as ordenanças cerimoniais de ordem cívica podem ter sido abolidas pela nova aliança; mas os preceitos da Lei, como amar a Deus acima de tudo e amar ao próximo como a si mesmo essas jamais foram abolidas. O próprio Senhor Jesus disse que não veio para abolir a Lei, mas para cumpri-la (Mt 5:17) como também disse que dos dois principais mandamentos dependem a Lei e os Profetas. (Mt. 7:12; 22:36-40)
Quarta, 29 de Janeiro 12:26 
mariosilva respondeu:

Você fez uma nova explanação, mas o foco é destacar QUAIS são(pelo menos algumas) as práticas da lei de Moisés e quais as práticas da Lei de Cristo?
Quinta, 30 de Janeiro 09:12 
joao832 respondeu:

Mario Silva,

Em algumas igrejas, infelizmente, temos observado um evangelho diferente do pregado e ensinado pelos apóstolos. Não mais se prega o evangelho de Jesus, que é aquele onde importa que o homem diminua e Cristo cresça. Pelo contrário, tem-se apregoado um falso evangelho, egocêntrico, mesquinho e ambicioso, onde Jesus é a porta para todas as realizações pessoais de terceiros.

Entendo que toda Escritura é útil para edificação do indivíduo, seja o Novo e/ou o Velho Testamento. Todavia, é possível observar que muitas denominações de fato pararam no Velho Testamento; muitas igrejas estão no tempo do Êxodo, ainda outras, no tempo dos Profetas. É comum observar muitas dessas igrejas decoradas com réplicas da Arca da Aliança e objetos que eram utilizados nos tempos antigos. Tais igrejas não apenas estão ambientadas à antiga aliança visualmente mas também liturgicamente e teologicamente, onde praticamente prega-se apenas o Velho Testamento.

Mas é importante observar que (não todas) algumas igrejas infiltram veementemente e muitas vezes fora de contexto o Velho Testamento e suas épicas passagens para obter ganhos com isso. Com bases equivocadas e errôneas em determinadas passagens, criam-se campanhas para obtenção de divisas sob a alegação de que aqueles que não aderirem e/ou não cumprirem tais campanhas sofrerão penalidades da parte de Deus, o que não é bíblico e tampouco é da vontade de Deus; pois a Palavra diz: vós que procurais justificar-vos na lei; da graça decaístes. (Gl 5:4)



Sexta, 31 de Janeiro 09:25 
mariosilva respondeu:

João

Você explanou novamente sua opinião, mas não destacou as práticas da lei de Moisés e as práticas da lei de Cristo. Vou te ajudar:

- Dízimos - ofertas - jejum - batismo nas águas - sacrifício e etc, etc, etc, etc, etc, etc, tudo faz parte da velha aliança e tudo tem sido praticado nos tempos atuais como se da Graça fosse.

“ toda vez que Moisés é lido, estão colocando o véu nos seus corações e anulando o sacrifício de Cristo na cruz, tornando- o inútil e o pior eu se dizem estar na Graça. Rs rsrs, nada sabem.
Quinta, 06 de Fevereiro 17:19 
joao832 respondeu:

Em Mateus 23:23 o Senhor Jesus de quando explanava sobre a conduta hipócrita de muitos fariseus, os advertiu que estes davam os dízimos da hortelã, do endro e do cominho mas desprezavam os preceitos mais importantes da lei que eram o amor e a misericórdia. Disse-lhes que deveriam fazer estas coisas sem omitir aquelas. Vemos então que o Senhor Jesus não reprovou a prática de dizimar desde que o indivíduo não omitisse os valores mais importantes.

Mas, com todo o respeito, vejo que o amigo tem se equivocado em seu ponto de vista, pois observemos:

1- O prezado citou que oferta não é prática da nova aliança, mas vejamos o que diz a Bíblia:

Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria.(2Co 9:7)

Porque a administração deste serviço, não só supre as necessidades dos santos, mas também é abundante em muitas graças, que se dão a Deus. (2Co 9:12)

Assim vemos que ofertar é bíblico e está descrito no Novo Testamento.


2- O amigo disse que batismo nas águas não faz parte da Nova Aliança; vejamos:

Sepultados com ele no batismo, nele também ressuscitastes pela fé no poder de Deus, que o ressuscitou dentre os mortos. (Cl 2:12)

E;

E, indo eles caminhando, chegaram ao pé de alguma água, e disse o eunuco: Eis aqui água; que impede que eu seja batizado? E disse Filipe: É lícito, se crês de todo o coração. E, respondendo ele, disse: Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus. (At 8:36-37)

E mais, ordenança do Senhor Jesus:

Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; (Mt 28:19)

Assim vemos que o batismo é imprescindível e ratificado na Nova Aliança.


3- O amigo disse que o jejum não é prática da Nova Aliança. Se o jejum de fato foi abolido, então porque o Senhor Jesus disse em Mt 17:21 que há certas castas de demônios que não saem senão pela oração e jejum?
E porque disse em Lc 5:33 que enquanto ele estivesse com seus discípulos estes não jejuariam mas quando não mais estivessem passariam então a jejuar?

No aguardo.
Abraços.
Sexta, 07 de Fevereiro 09:51 


mopimaju

Nível 4
Everton, você disse: “Pecado não apenas transgredir a Lei; pecado é principalmente fazer algo que vai contra a vontade ou natureza de Deus (errar o alvo)“. Cite-me, se você for capaz, um, apenas um pecado que não esteja enquadrado na Lei dos dez mandamentos. Lanço-te esse desafio!!!
Evertonchemp disse: “Sobre existir os 10 mandamentos no Éden, chega a ser ilógico afirmar isso. Veja que o décimo mandamento é: não cobiçarás (Êx 20.17)“. Pergunto: Quais mandamentos de Deus Eva transgrediu? Um foi não obedecer a Deus. E o outro? Cobiça, não ???
Evertonchemo disse: “Os 10 mandamentos foram instituídos no Sinai, e não antes dele“. Então Jesus delirou ao dizer que Satanás é homicida desde o princípio? O que Ele quis dizer com “o pai da mentira“? Mentir também é pecado? onde sei que é pecado, senão em Ex 20???
Everton perguntou: “Além de tudo isso, se já haviam os 10 mandamentos, então porque Deus plantou a árvore do conhecimento do bem e do mal?“ Respondo: Livre arbítrio, poder de escolha. Deus, para não ser tirano, ditador ou injusto, dá-nos a opção da escolha. Ele quer adoradores e não bajuladores. Foi assim com Lúcifer que escolheu o mal. Foi assim com o homem que escolheu ser conhecedor, também, do mal.
Evertonchemp falou: “Outra coisa, Paulo nunca pregou os 10 mandamentos!“. Respondo: Então Paulo mentiu: “Anulamos, pois, a lei pela fé? De maneira nenhuma, antes estabelecemos a lei.” Romanos 3:31“ Que diremos pois? É a lei pecado? De modo nenhum. Mas eu não conheci o pecado senão pela lei; porque eu não conheceria a concupiscência, se a lei não dissesse: Não cobiçarás.” Romanos 7:7. “E assim a lei é santa, e o mandamento santo, justo e bom.” Romanos 7:12. “A circuncisão é nada e a incircuncisão nada é, mas, sim, a observância dos mandamentos de Deus.” 1 Coríntios 7:19. Evertonchemp, ainda sobre sua afirmação de que Paulo nunca pregou os 10 mandamentos, como você explica as ações de Paulo: “E, havendo-lhe eles assinalado um dia, muitos foram ter com ele à pousada, aos quais declarava com bom testemunho o reino de Deus, e procurava persuadi-los à fé em Jesus, tanto pela lei de Moisés como pelos profetas, desde a manhã até à tarde.” Atos 28:23. Lestes estes versos com muita atenção??? Como Você, Evertonchemp, tem a coragem de afirmar que Paulo não pregou os mandamentos de Deus? Ou fazes isso por desconhecimento ou por má fé! Prefiro pensar na primeira hipótese!
Evertonchemp afirmou: “Pregava para povos que não conheciam, repito, não conheciam os 10 mandamentos”. Sim, Paulo era evangelista dos gentios, mas também dos judeus! Mas ele afirmava que aqueles gentios sinceros já apresentavam a Lei de Deus em seus corações. Isso não é guardar a Lei???
Everton disse: “Então Paulo deveria deixar escrito em suas cartas a exortação de os cumprir. Mas isso não acontece em nem uma de suas cartas. Nem mesmo a guarda do sábado (tão defendida por você).” Pergunto: Então por que Paulo exortava tanto as pessoas a mudarem de vida ao se converterem? Abandonar bebedices, glutonarias, fornicação, roubos, assassinatos e tudo, diga-se de passagem, que transgredisse os dez mandamentos? Onde quer que Paulo chegasse, ele visitava as sinagogas dos judeus, uma vez que ele era judeu! Ou ele deixou de ser judeu na sua opinião? Bom, se ele era judeu, congregava aos sábados, não achas? As igrejas fundadas por Paulo congregavam aos sábados. Não há um só verso bíblico que aponte para o domingo como dia de adoração ao Criador. O domingo, agora historicamente falando, entrou para adoração dos cristãos com Constantino no ano de 321 D.C. com o édito de Constantino. Ele era adorador do deus sol que era adorado aos domingos. Como ser tornou “cristão”, parou de persegui-los (os cristãos), mas exigiu que o dia do Senhor fosse trocado para o dia do sol ou Sunday, em inglês. Estude isso em um site não-adventista. Eis um link: http://arqueo.org/romano/imperador-constantino.html. Isto é história e eu gostaria muito que você fosse ler um pouco sobre este assunto. Até o ano de 321, os cristãos eram sabatistas, quer você queira, quer não. Ou vai negar a história, Everton??? Leia para não ficar por fora como muitos irmãos da fé! O Sábado foi santificado e eternizado. Isto está na Bíblia. O Domingo não está na Bíblia como o dia do Senhor. Ou vai negar isso também???
Evertonchemp disse: “Mais uma vez, esqueça as apostilas...”. Não estudo e nunca estudei por apostilas, meu amigo. Estudo a Bíblia e somente a Bíblia. Eu sugiro que você faça o mesmo. Não sejas semelhante a canas ao vento. Vá atrás. Fuja de Oséias 4:6.
Um verso de Jesus, através de João, pra você: “Aqui está a paciência dos santos; aqui estão os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.” Apocalipse 14:12.
Fique em paz. Não se preocupe, não vou mais lhe oferecer um ósculo santo. Parece que você não sabe o real significado disto.
Quinta, 30 de Janeiro 00:34 


mopimaju

Nível 4
Evertonchemp, desculpe-me, hoje, pelo meu jeito mais, digamos, “arrojado“ de debater com você e de refutar alguns dos seus pontos de vista. Não me leve a mal. Não se ofenda com algumas de minhas palavras, se é que você as interpretará ofensivamente. Mais uma vez não tenho a intenção de lhe convencer de nada, apenas defendo a verdade que conheço. Tenho meu jeito de me expressar que, muitas vezes, parece mais “quente“, mas sem intenções danosas. Ok? Mais uma vez, não se preocupe. Não vou te oferecer o ósculo santo! Hehehehehe.
Abraço.
Quinta, 30 de Janeiro 00:55 


mopimaju

Nível 4
Evertonchemp, desculpe-me, hoje, pelo meu jeito mais, digamos, “arrojado“ de debater com você e de refutar alguns dos seus pontos de vista. Não me leve a mal. Não se ofenda com algumas de minhas palavras, se é que você as interpretará ofensivamente. Mais uma vez não tenho a intenção de lhe convencer de nada, apenas defendo a verdade que conheço. Tenho meu jeito de me expressar que, muitas vezes, parece mais “quente“, mas sem intenções danosas. Ok? Mais uma vez, não se preocupe. Não vou te oferecer o ósculo santo! Hehehehehe.
Quinta, 30 de Janeiro 00:56 


fernando2

Nível 24
Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada. Gálatas 2:16
Quinta, 30 de Janeiro 10:12 


evertonchemp

Nível 7
Irmão Mario Lobato.
Ufa!!!!
Só de saber que você não quer mais me beijar, já me deixa aliviado!!!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!
Brincadeira!!!
Não se preocupe irmão!!
Não me ofendi!!
Aliás, sei bem como é isso; somos dois debatedores, e isso as vezes acontece.
Pra falar a verdade, eu já fiz o mesmo aqui no site...
Sobre o ósculo santo; a única coisa que eu vou te dizer no momento, é que você é realmente muito literal... Mas não vou discutir costumes de igrejas...
Sobre citar um pecado que não faça parte dos 10 mandamentos; usar drogas... masturbação... sodomia... homo afetividade...
Eva cometeu um pecado; comeu o fruto proibido.
Sobre o pecado de lucifer; já comentei acima. Favor reler meu comentário.
O livre arbítrio já existia antes da árvore, se não fosse assim, uma terça parte dos anjos não teriam escolhido se rebelar contra Deus.
Sobre as falas de Paulo sobre a Lei; ele disse:
Ora, nós sabemos que tudo o que a lei diz, aos que estão debaixo da lei o diz, para que toda a boca esteja fechada e todo o mundo seja condenável diante de Deus.
Por isso nenhuma carne será justificada diante dele pelas obras da lei, porque pela lei vem o conhecimento do pecado.
Mas agora se manifestou sem a lei a justiça de Deus, tendo o testemunho da lei e dos profetas;
Isto é, a justiça de Deus pela fé em Jesus Cristo para todos e sobre todos os que crêem; porque não há diferença.
Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;
Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus.
Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus;
Para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e justificador daquele que tem fé em Jesus.
Onde está logo a jactância? É excluída. Por qual lei? Das obras? Não; mas pela lei da fé.
Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé sem as obras da lei.
É porventura Deus somente dos judeus? E não o é também dos gentios? Também dos gentios, certamente,
Visto que Deus é um só, que justifica pela fé a circuncisão, e por meio da fé a incircuncisão.
Anulamos, pois, a lei pela fé? De maneira nenhuma, antes estabelecemos a lei.
Romanos 3:19-31
Dica: Para se compreender a mensagem de um versículo, leia os anteriores e os posteriores a ele. De preferência, leia todo o capítulo.
Veja que o texto nãos ensina a seguir a Lei, apenas diz que tanto os que seguem a Lei quanto os que não seguem, são igualmente pecadores (v-9), que a Lei nos da o conhecimento do pecado (nos diz o que é pecado) v-20; ou seja, não é o pecado que existe porque a Lei existe, é a Lei que existe porque o pecado existe!
Se não existisse pecado, não existira Lei (essa é a primeira lição para entender o propósito da árvore).
O v-21 comprova isso, pois Deus manifestou sua justiça sem Lei, isto é, cumprir a Lei não justifica ninguém. a Lei não é pra justificar, é para mostrar o pecado (ensinamento).
O v-27 diz que a jactância (superioridade; soberba) dos judeus mencionada por Paulo no início do capitulo, foi anulada não pela Lei (de Moisés) mas pela Lei da fé.
E o v-31 citado por você diz que a Lei não foi anulada, apenas cumprida pela fé.
Sobre At 28.23. A persuasão era sobre a fé, e não sobre a pratica da Lei.
Paulo usou a Lei de Moisés e as profecias para anunciar Jesus.
Sobre os pecados de glutonarias e tal... Errar o alvo, lembra?
Sobre a guarda do sábado, me refiro a não poder trabalhar e afins.
Cultuar a Deus não tem dia certo nem errado.
Quando me referia às apostilas, me referi ao conhecimento teológico...
É justamente por causa de Oséias 4.6 que eu tenho me afastado da teologia.
Quero conhecimento e não explicações humanas.
Olha irmão, eu não sou do tipo que aceita tudo que ouve.
Não sou daqueles que o pastor falou que é assim e ponto final.
Na verdade sou mais como o povo de Bereia (At 17.11).
A teologia me impede de ser assim, pois ela não admite que está errada (quando é o caso), teólogos batem o pé afirmando que suas respostam são inquestionáveis e tal.
Eu não concordo com isso!!
Acredito que reconhecer os erros é o caminho mais curto para futuros acertos.
Enquanto estivermos nessa terra, sempre acertaremos e erraremos.
Nunca alcançaremos o total ensinamento de Deus.
Somos eternos discípulos...
Quinta, 30 de Janeiro 12:49 
fernando2 respondeu:

Boa resposta, Everton...
Quinta, 30 de Janeiro 12:55 


nicinhaliberato

Nível 8
Hoje em dia está difícil de definir qual lei que muitas denominações tem pregado para seus membros.
Sexta, 31 de Janeiro 10:26 
evertonchemp respondeu:

Sexta, 31 de Janeiro 15:23 
mariosilva respondeu:

Nicinha

Está mais fácil do que você consegue enxergar. Veja os exemplos:

Dízimos - ofertas - jejum. Todas a denominações evangélicas praticam esses itens. Todos eles pertencem a lei de Moises que já foi abolida na cruz por Cristo, nenhum deles faz parte da Graça.

Quinta, 06 de Fevereiro 17:12 


<< Anterior 1 2 Próxima >>


Conteúdo liberado apenas para usuários cadastrados no site

  Faça Login   ou   Cadastre-se Grátis  









Gospel 10 na Internet
Crie um tópico no Fórum

Newsletter
Receba as novidades do Gospel 10 periodicamente, diretamente em seu e-mail.

E-mail:


Atenção: Os conteúdos postados no site não revelam, necessariamente, a opinião do Gospel 10.
A maioria são enviados pelos usuários, que podem ter opiniões teológicas diferentes dos idealizadores deste site

Gospel10.com › Portal Evangélico Ajuda |  Política de privacidade |  Termos de uso |  Quem somos |  Fale conosco
 Gospel 10 › 2008-2014. v4. Todos os direitos reservados