Cadastre-se Grátis  |  Esqueci a senha
login:   senha:  


julimjudok

Nível 4

A parábola dos 10 talentos

Em Mateus 25:14, a parábola dos 10 talentos nos mostra o proprietário entregando: “5 para um, 2 para outro 2 1 para outro.“
Não seria então a parábola dos 8 talentos? Seria este um erro, equívoco ou contradição da bíblia???? OPINE.

PS: Eu tenho certeza que a bíblia não tem erro nenhum e nem contradições. A palavra de Deus é perfeita! Perguntei assim porque, algum dia, alguém pode nos perguntar desta maneira.
--
“O maior pecado, depois do pecado é a publicação do pecado“ - Machado de Assis
Soldado Julio PMMG
Assistam http://www.youtube.com/watch?v=18pQSWPLWT
Categoria: Bíblia  |  2732 visualizações |  6 respostas  
Sexta, 26 de Novembro de 2010 15:58  | Compartilhe esse link:

6 respostas para este tópico




adoratorsp

Nível 5
Realmente a parábola não fala de 10 e sim de 8 talentos diferentemente da parábola das dez minas de Lucas 19:11-27. Mas conforme a regra de português diz: “para todo o texto deve haver um título“ e quando a bíblia foi traduzida para o português, os tradutores introduziram esses titulos para melhor separarem os textos, então se entende que esses títulos não foram traduzidos e sim introduzidos. E esses títulos variam de tradução para tradução; por exemplo na Biblia NVI e na RA está “ A parábola dos talentos“; na NTLH está “Os três empregados“, na Corrigida está: “A parábola dos 10 talentos“; enfim, há até bíblias que não possuem esses titulos. Portanto na minha opinião, os títulos são indiferentes.
Sexta, 26 de Novembro de 2010 16:22 


este usuário não existe mais
Acho (digo acho) que o título se refere à dez talentos, pelo fato de o encarregado dos cinco talentos aplicar o valor no banco e com os juros, obter mais cinco, somando a quantia de dez talentos.

“Então, aproximando-se o que recebera cinco talentos, entregou outros cinco, dizendo: Senhor, confiaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que ganhei.“
(Mt 25.20)

Abraços,
Sexta, 26 de Novembro de 2010 16:31 


julimjudok

Nível 4
Muito bakana as vossas opiniões.
Realmente cada tradução tem um título...
Não havia pensado na tese que 1979 explanou. Legal...
Vamos aguardar as outras opiniões.
Sábado, 27 de Novembro de 2010 17:49 


fernando2

Nível 24
Será que judas não meteu a mão na bolsa, enquanto Mateus escrevia a história???
|-) :“(
Domingo, 28 de Novembro de 2010 16:53 


chuvisco

Nível 5
...fernando2 rsrsr vc tem humor!!!
no original não havia o titulo “ a parábola dos 10 talentos “; nós é que colocamos um pouquinho mais tarde...bom, a escritura inspirada realmente não há erros, já a transliteração escrita infelizmente não é o mesmo. por tanto devemos, eu creio, usar a bíblia com bússola não com guia (ex.guia de rua).
Quinta, 02 de Dezembro de 2010 18:45 


tompson

Nível 5





Julimjudok,


Jesus fez mais do que exortar os seguidores a serem vigilantes. Depois de falar das virgens sábias e das tolas, ele contou a ilustração dos talentos. (Leia Mateus 25:14-30.) Esta se parece em muitos aspectos com a sua anterior parábola das minas, que Jesus contou porque muitos “estavam imaginando que o reino de Deus ia apresentar-se instantaneamente”.  Lucas 19:11-27.

Na parábola dos talentos, Jesus falou dum homem que, antes de empreender uma viagem para o exterior, convocou três escravos. A um deles confiou cinco talentos, a outro, dois, e ao último, somente um — “a cada um segundo a sua própria capacidade”. É provável que isso se referisse a talentos de prata, a uma quantia costumeira que naquele tempo equivalia ao que um trabalhador ganhava em 14 anos — um bocado de dinheiro. Quando o homem retornou, fez com que os escravos prestassem conta do que tinham feito durante o “muito tempo” em que ele ficara fora. Os primeiros dois escravos haviam dobrado o valor do que se lhes confiara. Ele lhes disse “muito bem”, prometendo a cada um maior responsabilidade, e concluiu: “Entra na alegria do teu amo.” O escravo que recebera um talento, afirmando que seu amo era extremamente exigente, não usara o talento para dar lucro. Escondera o dinheiro, nem mesmo depositando-o com os banqueiros para ganhar juros. O amo classificou-o de “iníquo e indolente”, porque agira contrário aos interesses do seu amo. Por conseguinte, foi-lhe tirado o talento e ele foi lançado lá fora onde haveria “o seu choro e o ranger de seus dentes”.

Novamente, os pormenores disso podem ser entendidos em sentido simbólico. Por exemplo, Jesus, retratado pelo homem que viajou para fora, deixaria seus discípulos, indo para o céu e passando muito tempo ali até receber poder régio. (Salmo 110:1-4; Atos 2:34-36; Romanos 8:34; Hebreus 10:12, 13) Novamente, porém, podemos perceber uma lição ou um princípio mais amplo que todos nós devemos aplicar na nossa vida. Qual é?

Quer nossa esperança seja a de vida imortal no céu, quer de vida eterna numa Terra paradísica, a parábola de Jesus torna evidente que devemos esforçar-nos em atividades cristãs. Na realidade, a mensagem desta parábola pode ser resumida numa única palavra: diligência. Os apóstolos forneceram o modelo disso a partir do Pentecostes de 33 EC. Lemos: “[Pedro] dava cabalmente testemunho e os exortava com muitas outras palavras, dizendo: ‘Sede salvos desta geração pervertida.’” (Atos 2:40-42) E como foi excelente o resultado que obteve dos seus esforços! Ao passo que outros se juntaram aos apóstolos na pregação cristã, eles também foram diligentes, a difusão das boas novas “aumentando em todo o mundo”.  Colossenses 1:3-6, 23; 1 Coríntios 3:5-9.

Pense no contexto desta parábola — que é uma profecia a respeito da presença de Jesus. Temos ampla confirmação de que a pa‧rou‧sí‧a de Jesus está em progresso e em breve atingirá seu clímax. Lembre-se de que Jesus relacionou “o fim” com a obra que os cristãos têm de fazer: “Estas boas novas do reino serão pregadas em toda a terra habitada, em testemunho a todas as nações; e então virá o fim.” (Mateus 24:14) Neste respeito, com que tipo de escravo nos parecemos? Pergunte-se: ‘Há algum motivo para se achar que eu sou como aquele escravo que escondeu o que lhe foi confiado, enquanto talvez cuidasse dos seus próprios interesses? Ou é evidente que sou como aqueles que foram bons e fiéis? Estou totalmente empenhado em aumentar os lucros do amo em todas as ocasiões?’
Sexta, 06 de Abril de 2012 14:06 


Conteúdo liberado apenas para usuários cadastrados no site

  Faça Login   ou   Cadastre-se Grátis  









Gospel 10 na Internet
Crie um tópico no Fórum

Newsletter
Receba as novidades do Gospel 10 periodicamente, diretamente em seu e-mail.

E-mail:


Atenção: Os conteúdos postados no site não revelam, necessariamente, a opinião do Gospel 10.
A maioria são enviados pelos usuários, que podem ter opiniões teológicas diferentes dos idealizadores deste site

Gospel10.com › Portal Evangélico Ajuda |  Política de privacidade |  Termos de uso |  Quem somos |  Fale conosco
 Gospel 10 › 2008-2014. v4. Todos os direitos reservados